Indústria cultural e o Kitsch: reflexões a partir de Theodor Adorno

Autores

  • EMANUELLE BESERRA DE OLIVEIRA INSTITUTO FEDERAL DA PARAÍBA

Palavras-chave:

Indústria cultural. Adorno. Kitsch. Mercadoria.

Resumo

O presente artigo busca apresentar o conceito de Indústria Cultural elucidado por Theodor Adorno e Max Horkheimer (1947). A expressão indústria cultural não é sinônima de meios de comunicação. Tal expressão não se refere às empresas produtoras e nem às técnicas de difusão dos bens culturais, veio em substituição ao termo cultura de massa. Adorno alerta que a arte produzida por esta indústria da cultura passa a oferecer a arte mercadoria como forma de entretenimento aos indivíduos, denominada de kitsch, esta arte parodia a catarse e se converte em produto a ser consumido impedindo uma relação real entre sujeito e o objeto de arte.

Referências

REFERÊNCIAS

ADORNO, T. W. A indústria cultural. In: COHN, G. (org.). Theodor W. Adorno. São Paulo: Ática, 1986a. p. 92-99.

ADORNO, T. W. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor,

ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995a.

ADORNO, T. W. Indústria Cultural. São Paulo: Editora Unesp, 2020.

ADORNO, T. W. Introdução à Sociologia. São Paulo: UNESP, 2007.

ADORNO, T. W. Kierkegaard: construção do estético. São Paulo: Editora da UNESP, 2010.

ADORNO, T. W. Minima Moralia: reflexões sobre a vida danificada. São Paulo:

Ática, 1993.

ADORNO, T. W. Notas sobre o filme. In: COHN, G. (org.). Theodor W. Adorno. São Paulo: Ática, 1986b. p. 100-107.

ADORNO, T. W. Palavras e Sinais: modelos críticos 2. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995b.

ADORNO, T. W. Prismas: crítica cultural e sociedade. São Paulo: Ática, 1998.

ADORNO, T. W. Teoria Estética. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2003a.

ADORNO, T. W. Teoria da Semiformação. São Carlos: Grupo de Estudos e Pesquisa Teoria Crítica e Educação. 2003b.

BENJAMIN, W. A obra-de-arte na época de sua reprodutibilidade técnica. Porto Alegre: Zouk, 2012.

BENJAMIN, W. Magia e Técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 2012.

DUARTE, R. A desartificação da arte segundo Adorno: antecedentes e ressonâncias. Artefilosofia, Ouro Preto, v. 2, n. 2, p. 19-34, jan. 2007.

DUARTE, R. Teoria crítica da indústria cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

ECO, Umberto. A estrutura do mau gosto. In:__ Eco, Umberto. Apocalípticos e Integrados e MOLES, Abraham. Kitsch. São Paulo, Perspectiva, 2001.

FREITAS, V. Adorno e a arte contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

JAY, M. As idéias de Adorno. São Paulo: Cultrix: Editora da Universidade de São Paulo, 1988.

OLIVEIRA, Emanuelle Beserra de. Diálogo entre a filosofia crítica de Theodor Adorno e o cinema de Glauber Rocha: Formação e experiência estética. 200 f. 2021. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2021. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/61701. Acesso em 05 mai. 2022.

Downloads

Publicado

2022-07-16