Crítica decolonial em Clastres, Dussel e Guattari

Autores

  • EDILENE NUNES SANTOS Ufs

Palavras-chave:

Filosofia da libertação; Capitalismo; Dussel; Clastres; Guattari

Resumo

Este trabalho pretende investigar a questão do subalterno e do colonizador, sob a ótica da Filosofia da Libertação, objetivando, portanto, um escape da constante ameaça do sistema colonizador capitalista como modo de vida das civilizações. As perspectivas dos autores aqui abordados são complementares e objetivam, portanto, um escape da constante ameaça do sistema colonizador capitalista como modo de vida das civilizações. As perspectivas dos autores aqui abordadas, buscam mostrar como o ego ( europeu) captura a força vital das culturas como a latino-americana, que sobreviveram ao colono e ainda são excluídas, desprezadas, oprimidas e ignoradas pelo etnocentrismo. Além disso, os autores Clastres, Dussel e Guattari, constroem um diagnóstico da modernidade e seu modo de produção social, compartilhando de um espírito crítico que vê um potencial transformador do ser humano através das subjetividades marginalizadas. Buscamos portanto apresentar uma síntese dos três autores para debater sobre pistas para assumir uma função libertadora e integral do ser humano (uma dimensão ética-política), destacando que a liberdade deve ser dissociada de um caráter "utilitário” e deve voltar-se para a própria realidade do subalterno (não do seu colono). Assim possibilitar, como máquina de guerra, uma luta contínua primordial de potenciação da sensibilidade das subjetividades marginalizadas, portanto uma filosofia do Sul para o Sul.

Referências

_____. Com 20 milhões de pessoas com fome, Brasil anda para trás. Amazonas atual, 2021. Acesso em: https://amazonasatual.com.br/com-20-milhoes-de-pessoas-com-fome-brasil-anda-para-tras/. 07 de novembro de 2021.

____. Olhe para a fome. Olhe para a fome, 2021. Acesso em :http://olheparaafome.com.br/. 07 de novembro de 2021.

BERNARDES, Thais. O mito do homem branco exalta a generosidade da branquitude e a miserabilidade da negritude. Notícia Preta, 2018. Acesso em: https://noticiapreta.com.br/o-mito-do-branco-salvador-exalta-a-generosidade-da-branquitude-e-a-miserabilidade-da-negritude/amp/. 07 de novembro de 2021.

CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado: investigações de uma antropologia política. Porto: Afrontamento, 1979.

CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado. trad. Theo Santiago. editora :Sabotagem, 2004.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1977

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Volume 4. Tradução de Suely Rolnik. São Paulo: Ed. 34, 1ª reimpressão, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. Trad. Georges Lamazière. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1976.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia?. Tradução de Bento Prado Jr e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992. DOSSE, François. Gilles Deleuze & Félix Guattari. Biografias Cruzadas. Porto Alegre: Artmed, 2010.

DELEUZE, Gilles. Cartas de Deleuze. Laboratório de Subjetividades, 2018. Disponível em: Acesso em: 07, ago. 2020.

DUSSEL, Enrique. Meditações anti-cartesianas: sobre a origem do anti-discurso filosófico da modernidade. Passo Fundo: Filosofazer. 2015, n.46, p.11-44.

DUSSEL. Filosofia da Libertação: na América Latina. São Paulo: Loyola, 2004.

FERREIRA, Marcos. O Capitalismo: Porsha O. Youtube,16 de outubro. Disponível em:https://youtu.be/DhHU3Lus45M

GUATTARI, F. Entrevista para a TV grega. Trad. de Anderson dos Santos. In: Revista Polis e Psique. Porto Alegre: UFRGS, 2018, 8(2), p. 7-23.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. Tradução Maria Cristina F. Bittencourt. Campinas: Papirus, 11ª edição, 2001.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. Tradução de Ana de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. São Paulo: Ed. 34, 1992.

GUATTARI, Félix. Guattari na PUC. In Cadernos de Subjetividade/Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade do Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUCSP. Volume I, n° 1, São Paulo, 1993a. p. 10-29.

GUATTARI, Félix. Líneas de fuga: por outro mundo de possibles. 1° ed. Cactus: Buenos Aires, 2013.

GUATTARI, Félix. Plan sobre el planeta: capitalismo mundial integrado y revolucionar moleculares. Ed. Traficante de Suenos: Madrid, 2004.

GUATTARI, Félix. Revolução Molecular: pulsações políticas do desejo. Tradução de Suely Rolnik. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

NADAUD, Stéphane. Qué es la ecosofia?. Buenos Aires: Cactus, 2015.

NEGRI, Antonio. Deleuze e Guattari: uma filosofia para o século XXI. São Paulo: Politeia, 2020.

SOUZA , David Britto de. A subjetividade maquínica em Guattari. 2008. 125 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Ceará, Departamento de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Fortaleza-CE, 2008.

Downloads

Publicado

2022-03-12