As vantagens da gestão ambiental no meio corporativo como elemento estratégico para a sustentabilidade

Las ventajas de la gestión ambiental en el entorno corporativo como elemento estratégico para la sostenibilidad

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v11i1.449

Resumo

O objetivo geral deste artigo é identificar as vantagens que as entidades governamentais obtêm com a adoção da Gestão Ambiental (GA) enquanto processo ordenado, bem como, do encargo institucional necessário quanto ao uso responsável e sustentável do meio ambiente. No referencial teórico apresentam-se conceitos relacionados ao Meio Ambiente e à responsabilidade socioambiental da Administração Pública. A estratégia de pesquisa consta de uma análise sistemática da literatura, na qual, foram realizadas observações associadas com os principais serviços envolvidos nas atividades dessa administração perante Gestão Ambiental, com o intuito de conhecer sobre os processos da GA. Com os resultados, pode-se concluir que a implantação de sistemas de GA fortalece a proteção do Meio Ambiente equilibrado para estas e as futuras gerações e desta forma, fazendo com que as empresas públicas possam pudessem ser vistas como instituições sociopolíticas com claras responsabilidades socioambientais e que se preocupam com a qualidade do ambiente e com a utilização sustentável dos recursos naturais.

Referências

ASSUMPÇÃO, L. F. J. Sistema de Gestão Ambiental – Manual prático para implementação de SGA e certificação ISO 14.001/2004. 3ª Edição, Curitiba: Juruá, 2011.

BARDIN, L. Análise do Conteúdo. São Paulo: Edições 70, p. 229, 2011.

BROWN, Madeline. Yi Ethnomycology: Wild Mushroom Knowledge and Use in Yunnan, China. Journal of Ethnobiology, v. 39, n. 1, p. 131, 2019. Disponível em: https://bioone.org/journals/journal-of-ethnobiology/volume-39/issue-1/0278-0771-39.1.131/Yi-Ethnomycology--Wild-Mushroom-Knowledge-and-Use-in-Yunnan/10.2993/0278-0771-39.1.131.full. Acesso em: 1 fev. 2023.

CANONICE, B.C.F. Normas e padrões para elaboração de trabalhos acadêmicos. 3ª; Ed. Maringá, EDUEM, 2013.

CORAZZA, Rosana Icassatti. Gestão ambiental e mudanças da estrutura organizacional. RAE eletrônica, v. 2, n. 2, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/raeel/a/3FjKXqF9Br7hm3dsRgp5p3j/?lang=pt. Acesso em: 1 fev. 2023.

HERCULANO, Selene. Sociologia ambiental: origens, enfoques metodológicos e objetos. Revista Mundo e Vida: alternativas em estudos ambientais, ano I, no 1, UFF/PGCA-Riocor. 2000. Disponível em: https://www.professores.uff.br/seleneherculano/wp-content/uploads/sites/149/2017/09/Sociologia_ambiental_v3_origens.pdf. Acesso em: 1 fev. 2023.

KIST, A. C. F. Concepções e práticas de educação ambiental: uma análise a partir das matrizes

teóricas e epistemológicas presentes em escolas estaduais de ensino fundamental de Santa Maria/RS. 2010. 136 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Ciências Naturais e Exatas,

Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/20555/TES_PPGGEOGRAFIA_2019_KIST_ANNA.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 1 fev. 2023.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. 5. reimp. São Paulo: Atlas. 2007.

LIMA, M. Monografia a Engenharia de Produção Acadêmica. São Paulo. Saraiva, p. 111. 2004.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: metodologia, planejamento, execução e análise. São Paulo: Altas. 1997.

MINAYO, M. C. S. Los conceptos estructurantes de la investigación cualitativa. Salud Colectiva, v. 6, p. 251–261, 2010. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/scol/2010.v6n3/251-261/. Acesso em: 1 fev. 2023.

MORAIS, A. C. R. Meio Ambiente e Ciências Humanas -2ª Edição. São Paulo. Hucitec, 29 – 143. 1997.

OLIVEIRA, F. V.; SCHENINI, P. C. SANTOS, J. A. A Importância da Auditoria Ambiental nas Organizações. XLV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, Londrina/PR. 2007. Disponível em: http://www.sober.org.br/palestra/6/394.pdf. Acesso em: 1 fev. 2023.

OLIVEIRA, K. A. de; CORONA, H. M. P. A percepção ambiental como ferramenta de propostas educativas e de políticas ambientais. Revista Científica ANAP Brasil, julho 2008, p.53 – 72.

PINHEIRO, J. A. Et al. Atividade antileishmanial de alguns óleos voláteis. Tópicos Especiais de doença animal III, CAUFE. Alegre, ES. 2014.

REIS, L. F. S. de S. D.; QUEIROZ, S. M. P. Gestão ambiental em pequenas e médias empresas. Rio de Janeiro: Ed. Qualitymark. 2002.

SELL, I. Guia de implementação e operação de sistemas de gestão ambiental. Blumenau: Edifurb, p. 137. 2006.

SEIFFERT, Mari Elizabete B.; LOCH, Carlos. Systemic thinking in environmental management: support for sustainable development. Journal of Cleaner Production, v. 13, n. 12, p. 1197–1202, 2005. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0959652604001672?via%3Dihub. Acesso em: 1 fev. 2023.

SEIFFERT, M. E. B. Gestão ambiental: instrumentos, esferas de ação e educação ambiental, São Paulo: Atlas, 25. 2010.

SELLTIZ, C.; JAHODA, M.; DEUTSCH, M. Métodos de Pesquisa nas Relações Sociais. São Paulo: EDUSP. 1974.

SIRVINSKAS, L. P. Manual de Direito Ambiental. 8 ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2010.

TACHIZAWA, T. Gestão ambiental e responsabilidade corporativa. 3 ed. São Paulo: Atlas, 26. 2005.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 5. ed. São Paulo: Atlas. 2004.

WOLVERTON, Steve; NOLAN, Justin M.; AHMED, Waquar. Ethnobiology, Political Ecology, and Conservation. Journal of Ethnobiology, v. 34, n. 2, p. 125–152, 2014. Disponível em: https://bioone.org/journals/journal-of-ethnobiology/volume-34/issue-2/0278-0771-34.2.125/Ethnobiology-Political-Ecology-and-Conservation/10.2993/0278-0771-34.2.125.full. Acesso em: 1 fev. 2023.

Downloads

Publicado

2023-03-23

Como Citar

DO CARMO LOIOLA, M. V. . As vantagens da gestão ambiental no meio corporativo como elemento estratégico para a sustentabilidade: Las ventajas de la gestión ambiental en el entorno corporativo como elemento estratégico para la sostenibilidad. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 181–198, 2023. DOI: 10.31416/rsdv.v11i1.449. Disponível em: https://revistas.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/449. Acesso em: 23 jun. 2024.