Comunicação não-violenta:

Relato de uma sequência didática aplicada no programa residência pedagógica

Autores

  • Maria de Fátima Alves Lopes
  • Larissa de Souza Meneses
  • Jackeline Maria dos Santos Castro
  • Rosilene Souza de Oliveira

Palavras-chave:

Aprendizagem, Competências Socioemocionais, Residência pedagógica, Prática Pedagógica

Resumo

O Residência Pedagógica é um Programa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), que oportuniza a formação inicial de professores por meio da experimentação do fazer pedagógico no dia a dia escolar. Este Programa é muito importante, uma vez que o aluno de licenciatura desenvolve habilidades teóricas e práticas do fazer docente. Neste sentido, este texto visa apresentar, em formato de relato de experiência, as atividades realizadas da Residência Pedagógica em uma escola da Rede Municipal de Petrolina-PE durante o Módulo I, este que aconteceu no período de dezembro de 2022 a abril de 2023 com uma turma de 3°ano do Ensino Fundamental com a presença de alunos em situação de vulnerabilidade social, emocional e econômica. Durante o referido período, foram desenvolvidas atividades de observação, regência de classe e realização de um projeto de intervenção fundamentado na técnica da “Comunicação Não-Violenta” com intuito de desenvolver habilidades socioemocionais nos discentes. As ideias de Vygotsky (1989), Larossa (2002), Rosemberg (2006), Rousseau (1979) e outros autores renomados, foram utilizadas para fundamentação teórica da intervenção realizada. Durante a coleta de dados e realização das atividades de intervenção, percebe-se que apesar dos esforços na implementação de currículos que objetivam o desenvolvimento de competências socioemocionais, a pandemia de Covid-19 deixou lacunas significativas na formação de crianças que tiveram que passar pelo processo de reclusão social.

Referências

ABED, Anita Lilian Zuppo. O desenvolvimento das habilidades socioemocionais como caminho para a aprendizagem e o sucesso escolar de alunos da educação básica. São Paulo: 2014.

BRASIL. Educação é a base. Competências socioemocionais como fator de proteção à saúde mental e ao bullying. 2019. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em 04 de abril de 2023.

BRETON, H.; ALVES, C. A. A narração da experiência vivida face ao “problema difícil” da experiência: entre memória passiva e historicidade. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v.17, n. 44, p. 1-14, jan./mar., 2021. Disponível em: Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8013/5526. Acesso em: 01 de set. de 2022.

DEMO, Pedro. Pesquisa: Princípio científico e educativo. 14a ed. Cortez. São Paulo. 2011.

LARROSA, Jorge Bondía. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Universidade de Barcelona. Tradução: João Wanderley Geraldi. Universidade Estadual de Campinas. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br . Acesso em 09 de maio de 2023.

PIMENTA, Selma Garrido e LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis , v. 3, Números 3 e 4, p.5-24, 2005/2006. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/10542/7012 Acesso em 18 de abril de 2023

ROUSSEAU, Jean Jacques. Emílio ou da educação. Tradução de Sérgio Milliet. 3° ed. Difel, Difusão editorial S. A. Editions Garnier Frère, Paris. São Paulo-Rio de Janeiro 1979.

ROSENBERG, Marshall B. Comunicação Não-Violenta: técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais. Editora Ágora, 1ª edição. 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/kZwPLnkwb7yJS9hJwdFfLDf/, acesso em 23 de abril de 2023.

VYGOTSKY, LEV S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 3ª.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Downloads

Publicado

2023-10-23

Edição

Seção

Dossiê Pedagogia em Revista